Hamas

Neste vídeo podemos ver o tipo de tratamento que o Hamas dedica aos seus compatriotas da Fatah. E podemos, mais do que isso, saber até que ponto se pode esticar a ideia de “infidelidade” à causa do Islão. Mais uma vez, também isto mostra como a fé é absolvida nas atrocidades cometidas.

O Daniel Oliveira acredita que Israel quer limpar a Palestina do mapa. Só não acrescentou a isso os dados da população palestiniana a viver em Israel. Parece que o demónio sionista já viu aumentar, de 1948 a 2003, a população palestiniana que acolhe de 155 mil para mais de um milhão. Não parece que seja assim tão aterradora a convivência com judeus. Quanto ao tratamento que os judeus teriam em solo palestiniano, já se está mesmo a ver qual seria. Aliás, o próprio Pacto do Hamas – um documento identificador dos seus objectivos – diz tudo (especialmente sobre o papel da fé no Islão nessa sua identidade).

O Daniel Oliveira lembra Chomsky. Ao considerar um crime a acção de Israel na Faixa de Gaza (bombardeamentos aéreos sobre alvos estratégicos definidos), equipara os ataques do Hamas (bombardeamento de civis, indiscriminadamente) aos de Israel, em que as mortes de civis são danos colaterais. Para Daniel Oliveira ambos os casos são iguais moralmente. O que interessa é a contagem de corpos. E nesse caso, claro, Israel tem sido bem mais eficiente do que o Hamas.

O Daniel Oliveira acha o Hamas radical mas considera os ataques israelitas crimes de guerra, aliás tal como o seu partido. Ao condenar Israel, sanciona as pretensões do Hamas.

  1. Gostei do “a população palestina que acolhe”. Saberá que os palestinianos que vivem em Israel são apenas uma pequena a parte que foi autorizada a continuar a viver na terra onde sempre viveu. Nas suas casas e nas suas cidades. Mas a novilingua chama isso “acolher” pessoas.

    • Rui Passos Rocha
    • 4 de Janeiro, 2009

    A ocupação dos territórios palestinianos por judeus iniciou-se bem antes de 1948. Significa isso que, não tendo havido Balfour e o que daí decorreu, Israel teria acabado por se legitimar enquanto nação de uma forma que redundaria neste mesmo resultado: batalhas e guerras em defesa do território.

    De qualquer forma, Israel tem cerca de 7,3 milhões de habitantes, mais de um milhão dos quais palestinianos. Isto diz tudo sobre a tal pretensão de eliminação do povo palestiniano.

  1. 9 de Janeiro, 2009
    Trackback from : Hamas (2) « Sinecura

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: