Alberto João Jardim

Mário Crespo prestou a devida vassalagem a Alberto João Jardim, que o acolheu na sua “modesta casa”, na Madeira. De qualquer forma, daquilo que pude ver (e, essencialmente, ouvir), o anfitrião esteve bem nas suas respostas (leia-se muito bem preparado). Mais uma vez, duas bofetadas de luvas brancas. Ao PS de Sócrates por desmascarar algumas das pseudo-verdades sobre as contas do arquipélago (e não só) veiculadas pela imprensa continental. Ao PSD por o colocar no mesmo saco que o PS quanto a propostas concretas sobre a forma como encarar a crise e os problemas que daí advirão num futuro recente. Ainda as bocas internas.
Vou rever a entrevista. E aprofundar comentários. Amanhã, talvez.

  • Trackback are closed
  • Comentários (5)
    • Melvin
    • 13 de Janeiro, 2009

    Entrevistar AJJ é demasiado arriscado, se bem me lembro não conheço nenhum jornalista em Portugal que tenha domado uma entrevista a Jardim. Judite de Sousa falhou na condução da entrevista à 1 ano atrás e Crespo igualmente deixou Jardim orientar muitas questões. Porém quem conhece Jardim sabe que este não se cala LITERALMENTE quando quer transmitir uma ideia, a técnica resulta sempre: Falar alto, não interromper o raciocínio, e usar palavras fortes para recuperar a atenção do jornalista. Claro que o Jornalista se cala, até porque o mais importante numa entrevista ainda é (e sempre será) ouvir o entrevistado, independentemente de este não responder directamente e concretamente a uma questão colocada. Cabe obviamente ao Jornalista fazer as questões mesmo que não sejam respondidas, todavia cada um responde como quer e ao que quer. Não respeitar isso faria do jornalista um ditador da resposta.

  1. Um excelente comentário que deveria, também, pela pertinência, ter sido colocado no post dedicado à entrevista de José Sócrates. Onde uns falharam por excesso de intervenção, outro falhou por timidez interventiva.

  2. Concordo em que entrevistar Alberto João Jardim deve ser o cabo dos trabalhos. Ainda para mais, sabendo-se que o ‘presidente’ da Madeira gosta tanto dos media como estes dele.

    No entanto, não acho que tenhamos aprendido nada de novo. Já sabíamos que ele tinha tentado chegar à liderança do PSD mas que não se quis envolver com os outros candidatos – daí, Santana Lopes. Já sabíamos que ele não acredita na Ferreira Leite e que acha ser ele o único capaz de vencer o ‘tipo’ que está em São Bento. Também já sabíamos que o PSD tem demasiados grupos internos, que preferem arranjar um tacho para si do que ajudar o partido a encontrar uma solução para o país. E, também, já sabíamos que Jardim faz aquilo que quer na Madeira, mas que no Continente teria de ser diferente.

    E aprendemos tudo isto porque, por entre a gritaria, Mário Crespo conseguiu dar à entrevista uma linha sequencial. A muito custe e com algumas concessões ao entrevistado – afinal, era o Alberto João Jardim.

    Olhando para uma e outra entrevista – e falo aqui da do Sócrates – percebemos a diferença que faz o político ser entrevistado por alguém que ele respeita e que o respeita a ele, alguém que quer encontrar respostas e não mais algumas promoções na carreira.

    A meu ver, na televisão em Portugal temos apenas dois entrevistadores a sério: Mário Crespo e Judite de Sousa. Os outros vão tentado, uns com mais sorte do que outros.

    Também fica aqui o reconhecimento à SIC, por ter trazido para sua antena Mário Crespo, deixando-o evoluir no estilo de que ele mais gosta: a conversa. Aliás, a entrevista.

    • marceano
    • 14 de Janeiro, 2009

    Há 28 anos que queria escrever. Desde o 4/12/80…a data fatal deste nosso Paìs.
    Esta será uma homenagem ao Alberto João. O homem que agarrou..
    Tem razão.
    Nós, PPD’s, nunca deixaremos a ligação, o tempo, os incidentes da História de Portugal.
    Eu estive na distrital do Algarve nesses épicos tempos que nunca esquecerei.
    Vamos continuar, há muita gente viva… talvez..presentes.
    Mais haverão, pessoas, os seres, os entes, penso, estarão, aqui, sempre presentes.
    Boa expressão de ontem.!! Gostámos, todos! Só podia..!!
    Continuemos.
    Cumprimentos.

    • lidia sousa
    • 26 de Março, 2009

    Senhor Crespo
    As suas entrevistas são de uma decadencia dolorosa para quem tem como vaidade pessoal ser o unico jornalista portugues a ser credenciado na Casa Branca. Talvez, outras contingencias que não as de jornalista lhe tenham aberto essas portas.
    Compreendo a exaltação do PPD.s que teve vergonha de se identificar mas eu calculo, pela verborreia de quem se trata. Para mim você é péssimo jornalista, sempre com a história do coitadinho regeitado pela RTP mas o unico prejudicado peloa profissionais da SIC é o Dr. Pinto Balsemão, pessoa que muito estimo e que merecia continuar a ter uma SIC de sucesso. Pelo menos seja correcto e não volte a rebaixar um untrevistado, como fez ao Ministro Pereira que, talvez por ter sido jornalista e não credenciado nos states foi sujeito a um vexame para encher o seu ego espezinhado pelo incrivel Hidi Amin, quero dizer AJJ
    LIDIA SOUSA

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: