Por favor, qualquer coisinha de esquerda

Plagio o Moretti para me aventurar nesta parvoíce de escrever num blog dominado por gente que está nos meus antípodas, vamos lá ver como isto corre, não tenho grandes ilusões. Para mais, desvirtuo o espírito da coisa, saindo bojarda tripartida, umas como reacção outras como acção:

1- A javardice em Gaza: vamos lá pôr os pontos nos ii:

-Israel, como já se viu, bombardeia alvos seleccionados escrupulosamente, como as instalações do crescente vermelho, a agência das nações unidas para os refugiados.

– O Hamas é terrível ( por falar nisso, não deixem as vossas filhas casarem-se com gente que vira o rabo para Meca para rezar, ou a fronte), mata civis a torto e a direito (3 desde o início da operação). Israel é só por acidente (quantos foram mesmo?).

– Israel deixaria vivos os civis palestinianos? Se eles fossem todos do hamas (nem que fossem tesoureiros da freguesia y) levavam com um balázio nos cornos. Porque eles são maus… e ponto final, o Hamas é uma organização monolítica, insensível a apelos ( por isso deixou de recorrer aos homens-bomba, mas isso pouco interessa)

– A convivência é pacífica? E os refugiados expulsos de Israel a quem é negado o retorno à sua residência? E a limitação ao exercício da cidadania por parte dos militantes de partidos árabes em Israel?

– O Hamas limpava o sebo a judeus que entrassem num Estado Palestiniano: hum, quantos judeus morreram no Irão nos últimos anos? O que foram Sabra e Chatila? Já agora, tendo em conta  os acessórios que os Judeus costumam carregar quando vão a Gaza, é normal que o Hamas não nutra grande empatia por eles.

– E por que raio deve Israel decidir quem deve ser o seu interlocutor? Estamos a falar de negociação, cuja condição prévia é a escolha por um dos lados do interlocutor dos outros? Imaginem lá que os Espanhóis queriam o Minho mas só aceitavam negociar connosco se os interlocutores fossem moderados (i.e. coninhas).

– Deixemos o acessório, vamos ao que interessa: Israel é um Estado, que não é laico por sinal, os palestinianos não têm a mesma sorte. Os palestinianos querem um estado porque nasceram lá, vivem lá há séculos, mas não o têm. Os israelitas leram na Torah que aquele espaço é deles. Nem discuto o direito de Israel ter um Estado: foi uma resposta condicionada por particularidades históricas (estariam melhor em Madagáscar, é verdade) e é quase como um proceso de usucapião.  E não me venham com a invasão de Estados árabes: antes disso já as milícias do Irgun tinham tratado de resolver a questão da alocação do espaço.

– O Hamas, volto a insistir, foi eleito em eleições transparentes. Bem mais que os torcionários que pululam pela Arábia Saudita, Qatar, Jordânia. Daqui devolvo a resposta ao “pode Israel negociar com o Hamas?”. Aviso que me repugna tudo o que cheire a rato de sacristia (e aqui passem a mesquita, que vai dar ao mesmo). Não gosto do Hamas mas como estão fartos de saber, o hamas recebeu um empurrãozinho sionista nos idos 80, altura em que a Fatah, secular, constituía um movimento terrorista (tal como o ANC até há bem pouco tempo, estão a ver o perigo das listas de insurrectos, e já agora, o PKK que é, há anos, martirizado pelas forças armadas turcas). Só uma inexorável e incontida vontade de prestar vassalagem a um dos novos cavalos de batalha da direita liberal (troglodita por sinal, até há uns que nõa lêem Saramago por ser de esquerda, eu que ando a ler Céline, fico parvo), não permite ver que o truque é gasto e mais que gasto (Israel só aceitará como interlocutor válido a distrital do Likud na faixa de Gaza).

– Preciosismos: o Hamas não é comparável com as FARC. Estará mais próximo, provavelmente, do MPLA nos anos 60 (lembram-se, também eram terroristas, vejam lá no extremo que vossemeÇês se colocam, por analogia histórica), porquanto apenas desejam um Estado Palestiniano. Volto a insistir, o Hamas não tem que reconhecer Israel, pelo simples facto de não ser um Estado. Mais adianto que a Fatah, já depois de reconhecer que aceitava a coexistência pacífica, não se livrou de levar com uns apaches e uns F-16, a mandar prendas: argumento, a Fatah não conseguia deter os terroristas, extraordinário, pedir a uma força provisória, terrivelmente amputada na sua soberania, que fizesse aquilo que os serviços de contra-terorismo europeu não conseguem.

– Por último: leituras menos redutoras, acerca do Hamas seriam salutares. E não é mistério nenhum que Israel deseja a radicalização de todo o processo.

– A guerra por vezes pode trazer a Paz, não num caso destes em que a assimetria é tão grande. Se alguém acredita que esta guerra poderá fortalecer a solução de dois Estados ou é parvo ou está a mentir, incapaz de conter os instintos belicosos.

2-  Os obesos:

– a discussão é parva, eu próprio contribuí para a parvoíce. Mas custa-me que tanto liberalismo não possa puxar para a libertinagem: o Woody Allen não comeu a filha que adoptou. E qual é o problema? Já agora, quanto aos requisitos, é estapafúrdio na medida em que qualquer previsão, não deixa de ser uma previsão.

3- O Sacrista patriarca

– Peguem  naquela coisa com os muçulmanos e ponham lá Judeus Ortodoxos. Daqueles que usam as patilhas e que obrigam as mulheres a viver na terra santa, que são tão fanáticos como os outros. Ai ai que o homem passava logo a  anti-semita. E o problema, mesmo, é que alguém ache que o tipo disse uma coisa inteligente.  Aquilo é uma patacoada estúpida que mete dó, vindo de um tipo que não deixa as mulheres usarem saias roxas, que proíbe a mulher católica de fornicar com quem lhe apetece (só com um, e segundo as regras , sejam elas quais forem). Enfim, já dizia o saudoso,” Morte ao neo-fascismo que nos começa a sufocar”. E voltando à carga com o homem, deixo aqui um aviso mui católico, que o senhor Cardeal certamente subscreveria:

Mulher não queiras sabida
Nem com vício desusado
Que podes perder a vida
Na estafa de dar ao rabo
Escolhe donzela discreta
Com os três no seu lugar
Examina-lhe bem a greta
Não te vá ela enganar
E depois de lhe veres o bicho
E as mamadeiras que tem
A funcionar a capricho
Já sabes se te convem
Mulher calma,é estima-la
Como a santa no altar
Cabra doida,é rifa-la
Que não venhas cá parar
Este conselho te dão
E não te levam dinheiro
Os cornudos que aqui estão
Com São Pedro hospitaleiro

  • Trackback are closed
  • Comentários (0)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: