A Situação

Se há coisa que o caso do Freeport parece ter reforçado é a ideia de que as leituras da juventude formam o intelecto. O caso de Pacheco Pereira e do seu «índice do situacionismo» é de bradar aos céus (há aspectos da sua crítica da RTP que me parecem fazer algum sentido, mas o todo é irrisório). Sobre isso leia-se este texto do director do Diário de Notícias.

  • Trackback are closed
  • Comentários (6)
    • jorge
    • 28 de Janeiro, 2009

    Rui, vai ver com mais atenção o que o JPP faz e diz, relativamente à questão da Comunicação Social. Esquece a pessoa que formula as acusações e o que sabes sobre o seu background político-intelectual. Tenta, tu próprio, fazer inferências a partir do material que ele recolheu. Ou será que a tua reacção epidérmica é apenas uma defesa da corporação? Aliás, se leres o texto que o Marcelino, do DN, escreveu, é de bradar aos céus. Para além de utilizar o argumentário “socrático” vintage, “Não é sem custos que se desfazem lobbies e se acabam com mordomias de muitos anos”, e aventar que isto seria uma retaliação pelo fim da transcrição da Quadratura no DN. Enfim…

    • José Pedro Monteiro
    • 29 de Janeiro, 2009

    A mim, é me indiferente quem tem razão, se o barbas se o outro mas quanto ao comentário, só para chatear:

    “Ou será que a tua reacção epidérmica é apenas uma defesa da corporação?”

    “Para além de utilizar o argumentário “socrático” vintage, “Não é sem custos que se desfazem lobbies e se acabam com mordomias de muitos anos”,”

    Ora bem, o manancial do nosso primeiro parece ter efeito até nos seus críticos que conseguem usar o mesmo argumento que ele no mesmo parágrafo em que o criticam por recorrer ao truque vintage?!?!?! Eh pá, vintage é giro.

  1. Jorge, farei isso. Vou ver as acusações dele e confrontá-las com a realidade. Sem ter ainda sistematizado dados, repito, tenho a ideia de que a grande maioria do que ele escreveu foi flop. Quanto ao DN ou ao seu director, como deves calcular não sei dizer se estão ou não ligados ao Governo. Mas vou fazer essa sistematização, aqui no blogue.

  2. Mas ó Jorge, por falar em inferências, tu acusares-me de «defesa da corporação» tendo em conta o que venho escrevendo por aqui…

    • PR
    • 29 de Janeiro, 2009

    «Mas ó Jorge, por falar em inferências, tu acusares-me de «defesa da corporação» tendo em conta o que venho escrevendo por aqui…»

    Acuso eu. És um corporativista de m****.

    • Rui Passos Rocha
    • 29 de Janeiro, 2009

    Joking, right?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: